quinta-feira, 5 de outubro de 2017

O Novo Testamento não foi escrito totalmente em grego - Provas testemunhais


Provas testemunhais

Entendemos como provas testemunhais os relatos históricos, tardios ou não.

O que muita gente diz sobre este aspecto, é que a maioria dos historiadores que relatam isso alguns séculos depois de tudo. Porém historicamente isso é comum de acontecer, e temos um aspecto aqui que são muitas citações de pessoas diferentes, de origens diferentes e crenças diferentes. O que faz com que seja muito improvável uma manipulação conjunta de todos nesta informação.

Vários historiadores se preocuparam em documentar o que aconteceu nesta época. Muitos registraram sobre os costumes da época, sobre os idiomas falados pelos judeus e sobre o idioma em que os escritos foram produzidos. Veja abaixo algumas citações:

Eusébio de Cesaréia (265 d.C. - 339 d.C.)


Evangelho de Mateus foi escrito em hebraico:
"Com efeito Mateus, que primeiramente tinha pregado aos hebreus, quando estava a ponto de ir para outros, entregou por escrito seu Evangelho, em sua língua materna, fornecendo assim por meio da escritura o que faltava de sua presença entre aqueles de quem se afastava."
(Eusébio de Cersareia, História Eclesiastica, Livro III, Cap XXIV, Verso 6)

"Isto é o que conta Papias sobre Marcos. Referente a Mateus, diz o seguinte: "Mateus ordenou assentenças em língua hebraica, mas cada um as traduzia como melhor podia."
(Eusébio de Cersareia, História Eclesiastica, Livro III, Cap XXXIX, Verso 16)

Carta aos Hebreus escrita em hebraico:
"1. Nas Hypotyposeis, para resumir, Clemente dá algumas explicações precisas da Escritura testamentária inteira, sem omitir os escritos discutidos, quero dizer, a Carta de Judas e as demais
Cartas católicas, assim como a Carta de Barnabé  e o chamado Apocalipse de Pedro.

2. Diz também que a Carta aos Hebreus é certamente de Paulo, mas que foi escrita em língua hebraica para os hebreus, sendo que Lucas a traduziu cuidadosamente e a editou para os gregos; daí que se encontre o mesmo colorido no estilo desta carta e nos Atos.

3. E acrescenta que é natural que a expressão "Paulo apóstolo" não esteja escrita no cabeçalho,"porque - diz - como escrevia aos hebreus, que tinham prevenção contra ele e dele suspeitavam,com absoluta prudência não quis espantá-los já no início pondo seu nome".
(Eusébio de Cersareia, História Eclesiastica, Livro VI, Cap XI, Versos 1-3)
Evangelho de Mateus, que era conhecido como Evangelho dos Hebreus:
"Escreveu também muitas outras coisas, das quais fizemos menção anteriormente, em parte, ao dispor as narrativas conforme as circunstâncias. Põe algumas coisas tomadas do Evangelho dos hebreus e do Siríaco, e em particular tomadas da língua hebraica, mostrando assim que se fez crente sendo hebreu. E não apenas isto mas também menciona outras coisas procedentes de uma tradição judia não escrita."
(Eusébio de Cersareia, História Eclesiastica, Livro VI, Cap XXII, Verso 8)
Evangelho de Mateus, escrito em hebraico:
"Acerca dos quatro Evangelhos, que também são os únicos que não foram discutidos na Igreja de Deus que está sob o céu, por tradição aprendi que o primeiro a ser escrito foi o Evangelho de Mateus, que foi por algum tempo arrecadador e depois apóstolo de Jesus Cristo, que o compôs em língua hebraica e o publicou para os fiéis procedentes do judaísmo."
(Eusébio de Cersareia, História Eclesiastica, Livro VI, Cap XXV, Verso 4)



Epifânio de Salamina (310 a 320 d.C. - 403 d.C.)


Evangelho de Mateus:
“Eles têm o evangelho segundo Mateus totalmente em hebraico. Pois é claro que eles ainda preservam esta obra no alfabeto hebraico, como ele foi originalmente escrito
(Epifânio de Salamina; Panarion 29).
Lucas era Siriaco, sua lingua nativa era portanto o aramaico:
6.  Lucas, por outro lado, oriundo de Antioquia por sua linhagem e médico de profissão, foi durante a maior parte do tempo companheiro de Paulo. Mas seu trato com os outros apóstolos também não foi superficial: deles adquiriu a terapêutica das almas, da qual nos deixou exemplos em dois livros divinamente inspirados: o Evangelho, que ele confessa ter composto segundo oque lhe transmitiram os que foram testemunhas oculares e se fizeram servidores da doutrina,dos quais ele diz que seguiu já desde o começo, e os Atos dos Apóstolos que compôs, já não com o que tinha ouvido, mas com o que viu com os próprios olhos.
Este ponto reforça minha tese de que o evangelho de Lucas teria sido escrito em aramaico, traduzindo algumas palavras hebraicas pro aramaico. Em vários momentos Lucas diz "que em aramaico quer dizer".

Livro: http://www.jacksonsnyder.com/yah/manuscript-library/the%20panarion%20of%20epiphanius%20of%20salamis.pdf

* Não encontrei o Panarion em Portugues, mas vi várias menções além desta acima procurando pela palavra "Hebrew" no pdf. Obvio que nem todas as vezes que aparece a palavra ele está dizendo sobre livros que foram escritos em hebraico, mas ao menos 3 citações ele atesta isso.



Flávio Josefo (37 d.C. - 100 d.C.)

Muitos que defendem o grego como lingua original alegam que o hebraico não era falado em Jerusalém e que muitos judeus nem sequer sabiam falar o hebraico.

O historiador judeu Flávio Josephus, no primeiro século testifica o fato que os Judeus do primeiro século falavam o hebraico. Ele testifica que o hebraico, e não grego, era a língua daquele lugar, naquele tempo. Josephus fala a respeito da destruição do templo no ano 70 D.C, e de acordo com ele os Romanos tinham tradutores judeus que rogavam a eles a se renderem na sua própria língua.(Guerras 5:9:2).

“Precisamos ser grandes artistas para entender a respeito dos gregos, e compreender os elementos da sua linguagem, pois uma vez habituados a falar a nossa própria língua, eu não pronunciaria grego com exatidão, pois nossa nação não nos encoraja a aprender as muitas línguas das nações”.
(Ant. 20: 11:2)


Esta página ainda está em construção, eu ainda acrescentarei mais conteúdo.





sexta-feira, 27 de maio de 2016

Como gerenciar uma igreja?


Muita gente deve se perguntar como gerenciar uma igreja. Não é fácil, principalmente porque nem todas as igrejas tem condições de bancar uma estrutura que atenda com qualidade às pessoas. E atender às pessoas, significa também lidar com espectativas.

Felizmente no mundo que vivemos, podemos ter a tecnologia a nosso favor, o que permite que mesmo igrejas pequenas possam melhorar sua capacidade de atender as demandas que uma comunidade exige.

Como conciliar visitas pastorais, escola bíblica dominical, cuidado com os membros, aconselhamentos, além de intermináveis reuniões, registros em atas, frequência da membresia, dízimos e ofertas, manutenção, inventário, etc?

Com esta ferramenta o trabalho pode ficar mais fácil. Nela você poderá gerenciar tudo isso. A interatividade entre os membros da igreja também será aprimorada, com avisos por e-mail e tudo que é necessário para manter a comunidade integrada. E o melhor, ele possui uma conta interiamente GRÁTIS.

Para acessar segue o link:
Sistema para Igrejas

O sistema é bem fácil de usar e completo. Espero que gostem...

Deus abençoe

segunda-feira, 14 de setembro de 2015

O Sábado



Yeshua (Jesus) foi traído, não somente por Judas. Ele é traído a todo instante. Por mim, por você, por todos...e Ele não te cobra que perceba a profundidade disso. Ele deixa você perceber no seu tempo.

Conforme você conseguir entrar no descanso dEle.

Conforme você se sentir perdoado.

Conforme você parar de olhar para o pecado.

Conforme você tiver maior interesse pela luz do que pelas trevas.

Experimente: arrependimento, e o Messias conduzirá seu coração até o Amor. Quando seguir pelo caminho do arrependimento, experimentará:
  • Mudança de sentido na vida;
  • Quebrantamento;
  • Constrangimento por perceber que estava insistindo no errado;
  • A sensação de compreender o que não compreendia;
  • Se sentir liberto;
  • Sentir tudo ser explicado;
  • Se sintir amado;
  • Acompanhado;
  • Com fé na restauração;
Yeshua se manifesta, como pensamentos, uma voz falando com sua mente. Você será ministrado. Será curado. Será restaurado. Então entrará no Descanso de Deus. Conhecerá o Sábado.Você está no Santo dos Santos. Permaneça neste Espirito o máximo de tempo que puder. Até mesmo enquanto faz outras coisas no seu dia a dia. Ajude as outras pessoas a permanecer neste mesmo Espirito. Creia que elas também experimentam isso do jeito delas.

Quando desistir do seu ego, a mudança virá. Fazemos isso por não compreendermos que somos parte de Um Todo. Este desistir é o arrependimento. As coisas vão fluir. Descanse no Messias, em Yeshua, no Sábado, no Descanso.

Arrependimento é quando você reconhece que está cansado e sobrecarregado e decide ir até a Luz. É quando deixa seu ego de lado.

Textos para meditação:

Pois desejo misericórdia, não sacrifícios, e conhecimento de Deus em vez de holocaustos.
Oséias 6:6

Aquele que habita no abrigo do Altíssimo e descansa à sombra do Todo-poderoso
pode dizer ao Senhor: Tu és o meu refúgio e a minha fortaleza, o meu Deus, em quem confio.
Salmos 91:1,2

sexta-feira, 24 de julho de 2015

Jesus a boa nova



Já se fez perguntas a respeito de conflitos entre a lei e a graça?

Alguns dizem:
Se a graça me basta, então eu estou livre para pecar?

Muito de nossa busca pela espiritualidade e pelo que é Divino envolve o nosso próprio ego. Muitas vezes buscamos a Deus, não por crer de fato nEle, mas por querermos descobrir segredos que nos diferenciará dos outros humanos. Queremos estar acima de todos. Queremos ser melhores do que todos. Este é um velho erro da natureza caída. Na verdade esta é a própria queda humana. O ego. O sentimento de querer tirar proveito. O sentimento de querer definir pela nossa razão o que é certo e o que é errado. O desejo de tomar o lugar de Deus. O anseio por ser maior e melhor, que geralmente culmina com a humilhação de nossos "oponentes". Queremos estar por cima para humilhar o nosso próximo. Acreditando que isso nos trará satisfação e preencherá o nosso vazio interior.

Com a graça não é diferente. Ao sabermos que podemos tudo em Deus, queremos usar deste artificio para pecar, destruir, aniquilar, beber do sangue do nosso próximo. O mundo é mau e exige sacrifícios exatamente pela nossa maldade, incrustada em nosso ser. Usamos o pouco conhecimento que adquirimos de Deus para barganhar com Ele a licença para sermos maus.

O que aprendi na minha caminhada é que a graça de Deus é exatamente o que nos faz entender que somos iguais diante dEle. A graça abre as portas dos céus ao religioso obcecado pela lei e ao adúltero que se prostitui e idolatra a própria carne. A graça não é ofensiva a nossa vontade. Ao mesmo tempo que abre este leque de liberdade para todo o ser humano, é necessário a nossa compreensão e decisão diante do caminho que nos foi aberto. E esta decisão é que torna ele estreito. É estreito porque a nós é muito difícil optar por algo que não nos engrandece, não nos traz benefício material e imediato. Requer muita fé optar por algo em que o benefício é invisível e transcendental.

Quando falamos sobre a graça de Deus, temos que fazer o paralelo imediato sobre a pessoa de Jesus. Jesus é o Religare. Religare é a palavra em latim de onde deriva a palavra "religião". O significado dela é religar o relacionamento perdido entre o homem e Deus. Quando o homem caiu, se distanciou do conhecimento e do relacionamento que tinha com Deus. A humanidade então perdeu-se em seu próprio "eu". Jesus é a própria graça de Deus. Jesus é o Messias que vem até nós para nos mostrar que é possível ao homem conhecer novamente a Deus. Jesus quebra todas as correntes que nos escraviza. Jesus nos mostra que não existe nada que possa nos impedir de falarmos diretamente com Deus. Qualquer doutrina que coloque preços para falar com Deus é diabólica. Não existe preço para ser pago por nós. Você pode neste exato instante ter feito qualquer "delito espiritual" e ainda assim a porta espiritual da graça de Deus está diante de ti. Você pode falar com Deus agora mesmo. Jesus permite que cegos, paralíticos, prostitutas, políticos, adúlteros, leprosos, ricos e pobres possam experimentar Deus.

Portanto a graça não é o aval para pecar, mas é a realidade de que mesmo pecando você pode sentir e falar com Deus. Você não está impedido de falar com Ele só porque pecou. Não existe hábito humano que nos torne mais santos. Não precisa existir vergonha no seu coração de falar com Deus. Não precisa existir medo de falar com Deus. Não deixe para amanhã, não espere suas atitudes estarem mais santas, pois de fato nunca estarão o suficiente para que se sinta aceito por Ele. Não é a sua atitude que faz Deus te aceitar mais, mas sim a graça dEle. Porém aos que decide falar com Deus, Ele mesmo promete que voltará seus ouvidos aos que o buscam genuinamente. Se você o buscar para humilhar seu irmão, logicamente não será ouvido. Se você o buscar para se sentir melhor do que seu próximo, será completamente ignorado.

Mas dentro deste raciocínio é importante entender que a lei não é má como alguns também pregam. A lei não é errada por causa da graça, muito pelo contrário. O cumprimento da lei de Deus é o resultado inevitável da ação da graça de Deus em sua vida. Não como imposição e nem da noite para o dia. Mas naturalmente, ao se aproximar de Deus através de Cristo (graça), você começa a considerar impossível não praticar a lei, pois não encontrará mais o sabor no pecado. Jesus representa não só a graça, mas também a lei. Ele é o próprio cumprimento da lei. Ele é o caminho entre a graça e a lei. A graça nos faz romper a barreira da aceitação e nos direciona para a lei. Nos santifica e nos transforma.

Este caminho entre a graça e a lei é Jesus, é o Religare. E ele só pode ser percorrido quando o seu ego é deixado de lado. Quando você conseguir em algum momento tomar a sua cruz, matar o seu eu e seguir a Cristo, permitirá que Deus te de nova vida. Te de a Vida Verdadeira. Perca a sua vida e irá encontra-la em Cristo. O caminho é estreito, pois ele envolve enfrentar o maior medo do homem. A morte. A morte do seu ego. Deixe que o amor a Deus tire este medo da morte do seu coração e da sua mente. A morte é inevitável, mas a ressurreição é fruto de uma escolha. A escolha de ser mártir. A escolha de entregar sua vida a Deus tem como prêmio a ressurreição. Não existe prática humana que possa garantir este direito, senão a entrega de sua vida a Cristo.

Esta é a boa nova. Que todos nós podemos conhecer novamente a Deus. Este é o desejo de Deus.
Oséias 6:6

Que a graça e a paz de Deus esteja com todos.

Amém

segunda-feira, 17 de junho de 2013

Tempo de Justiça


No princípio era o verbo, através do qual Deus criou os céus e a terra. A terra estava em caos. Sem forma e vazia. E então Deus resolveu transformar o caos em ordem. Para transformar o caos em ordem, primeiro iluminou. Trouxe luz ao caos. Depois fez separação entre o que era luz e o que era trevas. A criação começa então com a justificação. Justiça nada mais é que possibilitar a existência, pois, no caos há destruição. Justiça é o que se espera para o bem de todos. O homem então decide duvidar de Deus e decide pensar que poderia haver algo melhor do que a justiça. O homem perde sua fé na justiça e busca novamente o caos, mas o que encontra é somente destruição.

Este mesmo homem questiona o criador, questiona a existência de alguém que tenha colocado ordem, justificado e possibilitado a existência de tudo. Até mesmo a existência passa a ser questionada. O mundo que vemos pode ser uma mera simulação. A justiça, no imaginário humano, deixa de existir. A justiça é relativizada, ao se tornar relativa, se torna injusta.

Por toda a história humana a justiça de Deus foi questionada e criamos a justiça humana. Leis que defendem o interesse apenas de quem quer mandar. Isso fica tão latente que até mesmo a justiça divina é questionada. Até mesmo a veracidade da história das tábuas de Moises, escritas por Deus, é dita por muitos como manipulação do povo. Alguém diz que amar o próximo é manipulação. Relativizou-se tanto a justiça que até o certo ficou errado.

Hoje estamos vivendo tempos em que o povo clama por justiça. O caos chegou a tal ponto, que muitos nem sabe para onde temos que ir, só sabemos que temos que sair de onde estamos. Por isso o povo agora está na rua. Mas para onde vamos? Até que ponto temos que lutar? Segundo Jesus temos que estar dispostos a morrer por isso. Se queremos seguir o caminho da verdade e da vida, o caminho da justiça, devemos pegar a nossa cruz. Pegar a cruz significa segurar nas costas aquilo pelo que você será morto. Por isso não conseguimos viver num mundo totalmente justo, pois, poucos tem fé de verdade no pós-vida. Poucos estão verdadeiramente dispostos a morrer por justiça. Porém o incomodo do caos tem sido tão grande que muitos estão passando a preferir. Melhor morrer pela justiça do que viver no caos, morrendo todos os dias.

A seis meses atrás eu estava orando e Deus me disse que teríamos que fazer protestos pacíficos contra a corrupção durante as copas, pois, seria o momento em que o mundo veria o Brasil. Eu em minha pequenez, não tirei meu traseiro do sofá, e a coisa aconteceu mesmo sem que eu pudesse contribuir com relevância neste fato histórico. Como não poderia ser diferente, quando Deus fala, Ele não fala só com um, Ele fala com muitos, e muitos que tiveram muito mais fé do que eu fizeram acontecer. Agora quero acordar junto com este gigante que Deus despertou, com esse Brasil que luta por justiça. Se você é cristão está mais do que obrigado a também lutar. Não precisamos guerrear, a guerra por si só é injusta, e não faz sentido lutarmos por justiça guerreando. Mas temos que dar a nossa face, temos que tornar explícita a lambança do governo brasileiro.

Oro a Deus para que este espírito de manifesto seja constante em nossa nação, até mesmo quando o caos estiver menor. Se queremos um país justo, devemos lutar contra qualquer injustiça que se levantar, doa a quem doer. Temos que nos dar conta de que fazer o bem não é estar acomodado, mas lutar contra o mal. Tornar explícito o que não está justo. A privacidade pode proteger-nos do mal, mas também nos faz acomodados e injustos. Desordeiros de nossas próprias vidas. Vândalos de nosso próprio bem estar. Por isso devemos nos mexer. Devemos ter fome e sede de justiça, ou seja, ficar tão incomodado com a falta ela que não podemos passar muito tempo sem te-la.

Busquemos justiça!

quarta-feira, 6 de junho de 2012

Movimento


Definir quem somos pode implicar em algumas consequências. Corremos o risco de ficarmos ligados ao rótulo que nos colocamos. Risco porque experimentar a vida e experimentar Deus é estar em constante movimento. Vida é movimento. Deus é movimento.

Já vivi, fui e mudei muita coisa e continuo vivendo, sendo e mudando. O meu futuro depende disto. O fato é que não me importa muito quem fui, o que vivi e o que mudei, mas me preocupo muito com o presente.

O que penso sobre meu presente? Todos os dias tenho acordado pensando que chegou a hora de fazer a diferença. Diferença em que? No mundo, na vida, na minha, na sua, em tudo! Talvez esta seja a grande diferença entre Jesus e o cristianismo, Darwin e o darwinismo, Calvino e o calvinismo, Buda e o budismo. Todos transformadores, que tiveram seus conceitos aprisionados em "ismos" que apenas ensinam o conceito, na tentativa de aprisionar a sua ação.

Mudar o mundo é praticar o mundo, transformar é agir dentro e fora do virtual. Virtualizamos tudo que pensamos, ao modo que não precisamos mais viver o que está nos filmes, no contentamos em apenas assistir a história que poderíamos criar. Não precisamos mais amar o próximo, compartilhar uma imagem no facebook já ajuda ele e eu nem preciso abraça-lo.

Penso na ferramenta virtual apenas como uma ferramenta, para arrebanhar pessoas que queiram de fato transformar vidas, transformar realidades. Utilizo este espaço para isto. Que a inspiração virtual lhe provoque a agir e a transformar a sua realidade, o seu meio ambiente, as pessoas ao seu redor.

Graça e paz
Carlos Zillner

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

O homem não existe!


No ano 10.000 d.C. cientistas descobrem seres estranhos. Possuíam 4 pés em forma de rodas, portas, bancos (orifícios), um motor de alta complexidade  (coração), sistemas mecânicos (músculos) e elétricos (sistema nervoso), aparelhos para emitir sons (cordas vocais), sistema de combustão (aparelho digestivo), uma caixa que fornecia energia e se carregava quando este ser se movimentava.

Percebendo toda a inteligência deste ser, e verificando que existiam outros seres semelhantes e de inteligência hora inferior, hora superior, concluíram que estes seres evoluíram ao longo do tempo. Também concluíram que existir um criador destes seres afrontaria todas suas teorias, então começaram a encontrar explicações para o surgimento desses mecanismos de sobrevivência, sem atribuir o seu design a uma inteligencia superior. Concluíram que uma mistura química em uma circunstância pouco provável, mas plenamente possível em bilhões de anos. Foi gerada a cerca de 500 milhões de anos uma porca.

Esta porca se dividiu em parafusos, engrenagens, tubos e fios. Para se proteger de desastres naturais (seja lá o que naturais quer dizer num mundo que surge do acaso), utilizaram placas de metal como pele. Uniram-se em comunidades, onde vários pequenos organismos formam um corpo maior desse bicho chamado carro.

Naturalmente o próprio ambiente em que viviam, foi selecionando quais deveriam prevalecer. Alguns desses seres tinham um sistema de ar condicionado mais evoluído, outros suportavam melhor o calor, outros tinham a pele mais resistente. Os que tinham um corpo mais adaptado ao seu meio sobreviveram por mais tempo. Sem quebrar suas patas em solos esburacados. Alguns conseguiam até se regenerar em hospitais chamados retíficas. Também existem aqueles que sobreviveram por serem mais atraentes, outros eram tão feios que assustavam seus inimigos naturais.

Depois de muito pesquisarem e perceberem tantos detalhes explicados por sua avançada tecnologia, chegaram a uma conclusão. Está provado! O homem nunca existiu!